Publicidade

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 Bastidores | 09:43

Degradação do Brasil chegou ao futebol

Compartilhe: Twitter

A degradação do Brasil chegou ao futebol.

A falta de decência dos nossos políticos, aliados aos escandâlos intermináveis de corrupção, falindo educação, saúde, transportes e segurança pública atingiu também o maior esporte do país.

Estádios superfaturados e com “torcedores” preparados para os conflitos e batalhas campais, dentro e fora do campo.

Dirigentes acobertando grupos e subsidiando ingressos para ganhar votos e subir a popularidade.

Sou da época em que chegávamos ao local do jogo, sem nenhum problema. Brincávamos com adversários e ríamos das provocações.

Jogos com 50% da capacidade para cada time. Bandeiras e festas. Emoção antes e depois do apito.

Hoje, vestir a própria camisa é crime para os extremistas e fundamentalistas uniformizados.

A torcida única em clássicos paulistas precisa ser testada pela barbárie dos últimos tempos. Não há mais espaço para quebra-quebras, depredações e rinhas de humanos contra o bem-estar das pessoas do bem.

Nenhum ser humano de verdade em sã consciência aceitaria ver partes da sua casa destruídas, apenas por um sentimento diferente.

É hora de tentar algo diferente. Já que não temos mais nenhuma proteção, vamos à luta contra os irracionais.

Mesmo que ainda tenhamos que assistir a lavagem de mãos de quem deveria nos proteger.

 

Autor: Tags: , , ,

8 comentários | Comentar

  1. 58 Marçal 17/02/2015 8:01

    Sem medo da lei, é impossivel fazer justiça!
    Enquanto não houver uma reformulação completa, desde o inquérito policial, até a lei das execuçoes penais, continuaremos a conviver com esse estado de barbarie na segurança publica.
    Um inquérito policial consistente; um processo penal, sem direitos a tantos recursos (que só protelam uma ação da justiça); uma lei de execuçoes penais que não contemple com tantos beneficios.Só assim, um possivel delinquente, pensará duas vezes antes de delinquir.

    Responder
  2. 57 toco 10/02/2015 10:01

    Antigamente, era estádios de futebol. Agora Arena SIMPLES, tira os times de futebol e coloca as torcidas organizadas para brigar uma com a outra, como na Roma Antiga

    Responder
  3. 56 Alexandre Santos Elias 06/02/2015 16:12

    Os nossos dirigentes não tem opinião própria, seguem as vem com a onda de ar.

    Responder
  4. 55 carlos oliveira 06/02/2015 13:34

    Concordo com todas as palavras o Brasil tem que crescer e deixar de achar que Deus é brasileiro, é inadmissível a maioria sair prejudicada por causa de bandidos travestidos de torcedores uniformizados subsidiados pelos próprios clubes que os acolhem dando isenções na compra de ingressos. A impunidade que se assolou no pais a muitos anos agora toma dimensões desproporcionais e coloca as pessoas de bem em cheque, fica a pergunta até quando continuaremos refém e o poder publico como verdadeiro Pilatos lavando as mão quando deveria proteger o bem estar social da população esta se esquivando da responsabilidade que lhes é dada.

    Responder
  5. 54 Sergio A de Sa 06/02/2015 12:34

    Realmente o futebol brasileiro hoje encontra-se na pior fase de sua história. É inevitável comparar com a falta de planejamento e organização que se vê no cenário político e econômico do Brasil. A crise chegou forte! Assistimos a evolução do futebol pelo mundo e ficamos acreditando que seriamos sempre os melhores, passamos vergonha na ultima Copa. Espero que tenha servido de lição, pois ainda temos a ginga e a malícia do futebol moleque. Sem duvidas é preciso ter investimento em infraestrutura nas divisões de bases, aprimorar as técnicas de preparação, usar os recursos tecnológicos, incentivar o futebol nos campos de bairros(peladas). Tudo isto requer planejamento, honestidade, investimentos, integração entre as entidades esportivas e a CBF, ética e amor pelo futebol. Aliado todas estas características certamente retornaríamos ao tôpo do ranking. Eu acredito!

    Responder
  6. 53 Luís Carlos 06/02/2015 11:29

    Os ingressos para o clube visitante em São Paulo são comprados por este (sem qualquer identificação pessoal) e CEDIDOS (todos) para as torcidas organizadas. O clube mandante é responsável pelo pagamento pelos serviços de segurança pessoal que a polícia presta às torcidas organizadas, pelo pagamento da reposição de objetos e materiais destruídos pelas torcidas organizadas e responsável junto às federações por atos de barbárie cometidos pelas torcidas organizadas.

    Os clubes, mandantes ou não, permitem que as torcidas organizadas promovam merchandising gratuito com seus uniformes próprios e suas faixas. O nome das torcidas organizadas aparecem mais na tv que o dos próprios patrocinadores do clube e do evento.

    Lembrando que a violência propagada pelas torcidas organizadas é seu principal instrumento de marketing, já que o que motiva alguém a se filiar a uma torcida organizada é o medo de apanhar e as torcidas organizadas simulam uma valentia que ilude o filiado em potencial de que não vai mais apanhar. Essa tática é bem antiga e utilizada por quaisquer tipos de máfias, as do tipo “poderoso chefão” e as milícias dos morros do Rio de Janeiro, entre outras.

    O Ministério Público, embora saiba que boa parte dos membros de torcidas organizadas não desembolsam quaisquer quantias, exige que ainda assim os clubes reservem lugares nos setores cuja faixa de preços são as mais baratas para que todos os membros de torcidas organizadas tenham a possibilidade de ir ao estádio torcer para a torcida organizada, quebrarem o que puderem e matarem os outros se possível.

    A polícia militar, além de fazer a segurança pessoal das torcidas organizadas, revistam e jogam os cavalos contra os torcedores dos times e tratam os torcedores das torcidas organizadas com cordialidade e deixam-nos entrar no estádio até com lança-mísseis.

    A polícia civil troca impressões sobre o jogo, sobre a novela e sobre o BBB com os membros de torcidas organizadas detidos vez por outra só para ilustração. Eles chamam isso de “prestar esclarecimentos”.

    Os juízes e promotores tratam de corrigir eventuais desvios de conduta cometidos pela polícia civil.

    A prefeitura faz sua parte cedendo terrenos, depósitos e ainda solta uma boa grana na mão deles em fevereiro.

    A imprensa dá sua contribuição também reservando parte de sua pauta gerando notícias sobre as torcidas organizadas, que para essas funciona como propaganda gratuita.

    E o que motivou o jogo de torcida única não foi qualquer coisa relacionada à segurança ou à outra coisa nobre. Foi o prejuízo que a WTorre vislumbrou e com o qual não pretendia arcar. Contribuição de campanha, legal ou ilegal, serve pra isso entre outras coisas.

    Responder
  7. 52 leandro 06/02/2015 10:43

    Infelizmente chegamos nesse ponto , chegamos ou voltamos pra idade media sei la

    Responder
  8. 51 Everson 06/02/2015 10:36

    exato! Ninguém quer ver sua casa destruida

    Responder
  1. ver todos os comentários
 

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o iG não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!

* Campos obrigatórios


 

Responder comentário


* Campos obrigatórios