Publicidade

Arquivo de junho, 2016

terça-feira, 21 de junho de 2016 Bastidores | 12:44

A política de Tite na CBF

Compartilhe: Twitter

Conheço Tite há 21 anos e fiz várias entrevistas com ele, no início do seu trabalho como técnico, em 1995.

Ali, já víamos um profissional obcecado pelo conhecimento e crescimento na carreira.

Sua chegada à Seleção Brasileira é um merecimento pela trajetória e profissionalismo. Literalmente, é a bola da vez.

No entanto, me surpreendeu sua presença entre Marco Polo Del Nero e Cel. Nunes, dois “políticos” profissionais no comando da CBF, entidade que pensa em tudo, menos no crescimento do futebol brasileiro.

Tite assinou um manifesto pedindo a renúncia de Del Nero, em dezembro, e seis meses depois abraçou o cidadão.

Realmente, uma mudança radical de pensamento e postura perante a chance de realizar um sonho.

Respondeu todas as perguntas, mas foi extremamente cauteloso e político para não criticar seu novo comandante.

Acho que Tite levará o Brasil à Copa do Mundo 2018, mas sua figura ligada à Del Nero e o nefasto grupo que dirige a CBF, ficará marcada para sempre. Ganhando ou perdendo. Uma pena.

 

Autor: Tags:

segunda-feira, 20 de junho de 2016 Corinthians | 11:12

Cristóvão Borges é igual à maioria dos técnicos do Brasil

Compartilhe: Twitter

A escolha de Cristóvão Borges para ser o novo técnico do Corinthians pegou muita gente de surpresa.

Me incluo nesta lista por dois fatores: Não conseguiu bons resultados em trabalhos anteriores e estava parado há seis meses. É lembrado pelo Vasco de 2011 e 2012, herança de Ricardo Gomes.

Agora, a chance de ele dar certo é igual à maioria dos técnicos brasileiros. Assume um time estabelecido num clube que não demite treinadores há seis anos.

Pega o Corinthians na 4ª colocação do Brasileiro e nas oitavas-de-final da Copa do Brasil.

Não pode e não deve ser comparado a Tite, mas viverá sob resultados, único planejamento existente no futebol brasileiro.

Com 57 anos, Cristóvão não é nenhuma garantia de títulos ou grande trabalho. Mas quem é, hoje, no Brasil?

Não temos nomes indiscutíveis e todos ficarão sempre à mercê de ganhar ou ganhar.

Então, vamos aguardar e dar tempo ao novo comandante corintiano.

 

Autor: Tags: