Publicidade

Posts com a Tag dirigentes

quarta-feira, 29 de julho de 2015 São Paulo | 11:08

Reunião do Conselho do São Paulo teve cala a boca para dirigentes

Compartilhe: Twitter

A reunião do Conselho Deliberativo do São Paulo teve momentos de discussão acalorada entre nomes influentes do clube, nesta terça-feira.

O presidente do Conselho, Carlos Eduardo Barros e Silva, mandou Ataíde Guerreiro e Júlio Casares calarem a boca num início de debate.

Houve protestos e gritos em altos brados, gerando tensão no encontro. Alguns conselheiros condenaram a atitude de Leco, que deixou o recinto antes do final da reunião.

“É preciso respeitar a gestão atual. O São Paulo está fragmentado politicamente”, afirmou Mauro Castro, membro da oposição.

Casares nega a versão de alguns. “Isso jamais aconteceria. Houve uma discussão normal entre Leco e Ataíde, mas sem cala a boca. Não é o perfil do Leco”, ressaltou.

Ataíde Guerreiro, vice-presidente de futebol, saiu do Morumbi bastante irritado e preferiu não dar entrevistas.

Leonardo Serafim, diretor-jurídico, minimizou os conflitos políticos e admitiu a delicada situação financeira do tricolor. “É difícil como a de todos os clubes brasileiros”, concluiu.

O empresário Abílio Diniz esteve presente e sugeriu uma governança corporativa, sem indicar a criação de um fundo de investimento para o São Paulo.

O novo diretor-geral, Alexandre Bourgeois, foi apresentado e vai comandar executivos nas principais áreas do clube, com metas a serem atingidas.

O pagamento da polêmica comissão de R$ 18 milhões pelo contrato da Under Armour, fornecedora de material esportivo, passou pelo crivo dos são-paulinos.

“A comissão do Jack passou”, ironizou José Mansur, braço-direito do ex-presidente Juvenal Juvêncio. Jack é o nome do titular da empresa com sede na Austrália, responsável pelo recebimento da comissão.

O presidente Carlos Miguel Aidar não quis falar com o blog para comentar o encontro e a proposta do Monaco pelo meia Boschilia.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 6 de abril de 2015 São Paulo | 11:23

Muricy já entregou o cargo e diretoria não aceitou. Agora, dirigentes devem tomar a iniciativa

Compartilhe: Twitter

Escrevo nesta segunda-feira, dia seis de abril. Leio e ouço que Muricy Ramalho entregou o cargo de treinador para a diretoria do São Paulo, após a derrota para o Botafogo de Ribeirão Preto.

Não duvido de nada e não sou crítico da crítica, mas Muricy já fez isso depois de perder para o Palmeiras por 3 a 0, no dia 26 de março.

Naquela data, a direção não aceitou e bancou a permanência de Muricy.

Conhecendo bem o técnico, agora os dirigentes precisarão tomar a iniciativa de acertar a saída dele.

Muricy pediu para deixar o clube uma vez. Não vai repetir a mesma atitude. A bola está com Carlos Miguel Aidar e Ataíde Guerreiro.

Se eles não o dispensarem, Muricy seguirá comandando o time. Como pretende fazer nesta segunda-feira.

Vamos aguardar os fatos.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 Bastidores | 09:43

Degradação do Brasil chegou ao futebol

Compartilhe: Twitter

A degradação do Brasil chegou ao futebol.

A falta de decência dos nossos políticos, aliados aos escandâlos intermináveis de corrupção, falindo educação, saúde, transportes e segurança pública atingiu também o maior esporte do país.

Estádios superfaturados e com “torcedores” preparados para os conflitos e batalhas campais, dentro e fora do campo.

Dirigentes acobertando grupos e subsidiando ingressos para ganhar votos e subir a popularidade.

Sou da época em que chegávamos ao local do jogo, sem nenhum problema. Brincávamos com adversários e ríamos das provocações.

Jogos com 50% da capacidade para cada time. Bandeiras e festas. Emoção antes e depois do apito.

Hoje, vestir a própria camisa é crime para os extremistas e fundamentalistas uniformizados.

A torcida única em clássicos paulistas precisa ser testada pela barbárie dos últimos tempos. Não há mais espaço para quebra-quebras, depredações e rinhas de humanos contra o bem-estar das pessoas do bem.

Nenhum ser humano de verdade em sã consciência aceitaria ver partes da sua casa destruídas, apenas por um sentimento diferente.

É hora de tentar algo diferente. Já que não temos mais nenhuma proteção, vamos à luta contra os irracionais.

Mesmo que ainda tenhamos que assistir a lavagem de mãos de quem deveria nos proteger.

 

Autor: Tags: , , ,